quinta-feira, 11 de março de 2010

24º Andar

De todas as coisas que mais me incomodam no mundo, desde os ar-condicionados pingando no centro da cidade do RJ ou até aquelas abelhas diabéticas que caem dentro da sua latinha de refrigerante justamente no ápice da sede, nada me perturba tanto como entrar num elevador com pessoas desconhecidas. Já pensei em procurar um médico mas depois previ que um psicólogo seria talvez a solução. O engraçado é que gosto do friorzinho que dá na barriga quando o elevador sobe e desce. Que me desculpem todos os vizinhos do meu prédio, mas sempre que posso, mesmo morando no primeiro andar, aperto todos os andares e deixo ele seguir viagem sozinho e avisando os passageiros fantasmas dos andares pedidos. Às vezes fico passando a mão no infravermelho para a porta abrir e fechar e confesso que fico alguns minutos fazendo isso rs. A nossa relação é boa, como disse no início, o que me intriga é o fato de como as pessoas se comportam dentro dele. Algumas olham para o teto, tiram míseras partículas de sujeira das unhas, outras olham para o infinito, outras entram e não dão sequer um bom dia... e o engraçado é que eu sempre tenho a sensação que o incómodo é geral. No fundo a aproximação com outras pessoas desconhecidas num ambiente fechado, retangular e cinza não é nada agradável. Outro dia, quando estava aguardando um elevador para ir ao 24° andar, vi que tinha umas quatro pessoas na minha frente, silenciosamente, fingi que estava aguardando outra pessoa e esperei que elas entrassem no elevador para que eu pudesse pegar um próximo. No outro dia de manhã, soube que o elevador havia parado no 19º e as pessoas tiveram que passar 3 sufocantes e agoniantes horas de suas vidas inventando o que fazer para não ter que olharem umas para as outras. E sabe o que descobri de mais curioso? É que elas ainda saíram amigas, marcando de beber chopp e afogar as mágoas. Quanto pesadelo: ficar preso num elevador com pessoas estranhas, contar a sua vida e ainda marcar um chopp com uma pessoa que você nunca mais vai encontrar?? Depois dessa evito elevadores cheios, pessoas suspeitas nas filas e de quebra ainda levo uma revista debaixo do braço, afinal a gente nunca sabe o que pode acontecer rs

4 comentários:

  1. O que me incomoda muito é gente que não responde bom dia!!

    E quando no ambiente fechado, retangular e cinza não sinto o tradicional incomodo, estou sempre concentrada no meu medo de despencar!

    3 HORAS!!!!!
    Medo!

    ResponderExcluir
  2. Vc conhece a Laura?!
    De onde?!
    O mundo é mesmo uma aldeia!!
    Tem twitter?!
    Beijo
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Muito bommmmmmm!!

    Hyana

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto